Musculação vs Cerveja, qual a relação ?

Musculação vs Cerveja, qual a relação ?
5 (100%) 1 vote

Musculação vs Cerveja

A cerveja e a musculação divide opiniões e toda vez que lançam um estudo novo sobre o assunto, a gente fica mais confuso. Em determinado momento, a cerveja é complemente ruim para a saúde; em outro, ela faz bem até para o coração. O que realmente é verdade? Bom, depende do seu ritmo de vida, dos seus objetivos e, é claro, da quantidade de cerveja que você toma.




De acordo com um estudo finlandês, a cerveja pode reduzir em 40% os riscos de desenvolver pedras nos rins. Mas é preciso beber com moderação para obter os benefícios. Em excesso, a cerveja pode ser responsável por agravar o quadro. Segundo os pesquisadores, as mulheres devem consumir até uma latinha da bebida.Um outro estudo realizado na Holanda e publicado na revista científica The Lancet, apontou que pessoas que bebem cerveja regularmente apresentam taxas de vitamina B6 cerca de 30% mais altas quando comparadas a exames de outros que não costumam consumir a bebida e praticar musculação. Quando os níveis são comparados a pessoas que bebem vinho com frequência, a concentração da vitamina chega a ser duas vezes mais elevada. A vitamina B6 é responsável por ajudar a eliminar a homocisteína, substância que, em excesso, pode contribuir para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Uma pesquisa do Centro de Pesquisa Cardiovascular de Barcelona, na Espanha, ainda de apontou que a cerveja tem um efeito protetor do sistema cardiovascular, reduzindo a cicatriz no coração provocada por um infarto agudo do miocárdio. Outras pesquisas mostram que ela é capaz de melhorar o sistema imunológico, fortalecer os ossos, prevenir o Alzheimer e combater a gripe. Tudo isso, é claro, se ela for ingerida com moderação. Mas e na academia? Quais são os efeitos da cerveja no seu treino diário?

emagrecer sem exercícios

Como a bebida atrapalha os ganhos de massa muscular?

É praticamente impossível conseguir massa muscular quando se está deficiente dessas vitaminas. A vitamina B2, por exemplo, é responsável por favorecer o metabolismo na sintetização de gorduras, açúcares e proteínas.

Na parte hormonal, o álcool também trabalha de forma prejudicial. O álcool interfere no hipotálamo, na hipófise e também nos testículos, que são os encarregados pela função reprodutiva de testosterona, o hormônio masculino principal responsável pela característica e força muscular.

Por isso que, quem bebe muito acaba, com o tempo, perdendo boa parte das principais características masculinas. Em mulheres esse caso também se agrava, ocasionando problemas severos no metabolismo ósseo, assim como os distúrbios menstruais decorrentes também do desequilíbrio hormonal.

A diminuição da síntese protéica em decorrência da ingestão de bebida alcoólica sempre acontece, até mesmo em pouca quantidade. O problema é que, quem espera resultados, não pode nem pensar em abalar sua capacidade de sintetização de proteínas.

Calcula-se para quem costuma beber muito seguidamente, uma perda de até 20% da musculatura, que acaba sendo substituída por células de gorduras no final da história.

Devemos lembrar também da desidratação, especialmente para quem prefere cerveja. Isso porque toda bebida alcoólica tem efeito diurético.

É bom saber que quando se está indo muito ao banheiro por beber cerveja, o que está saindo não é necessariamente a cerveja. O que sai é líquido em demasia.

O corpo humano é constituído cerca de 70% de água, sendo ela importante ao funcionamento de tudo. E com o efeito diurético, é possível perder até sais minerais como o cálcio.

A fadiga é sem sombra de dúvidas um outro inimigo da boa forma. Quanto mais energia num treino, melhor. O corpo precisa trabalhar forte operando com o máximo de sua capacidade física, para que os músculos possam se regenerar durante o descanso normal.

E, bem, bebidas alcoólicas danificam as horas de sono do atleta. Como é durante o descanso que os músculos se recuperam e crescem, um corpo fadigado jamais vai conseguir obter todo o resultado que conseguiria num processo normal de sono e descanso.

Sendo que, ainda mais depois de uma bebedeira, o corpo gasta energia a mais para poder se recuperar na musculação totalmente, e isso pode levar mais de 48h.

E isso tudo pode ficar pior por causa dos efeitos nocivos do álcool no sistema nervoso. Além de prejudicar no tempo de reação, também acaba denegrindo a coordenação motora.

O consumo de bebidas alcoólicas por muito tempo acaba lesando de vez todo os sistema nervoso, ainda mais, em caso de alcoolismo, causar um atrofiamento do cérebro.

Isso claro, além do stress e indisposição que, dependendo do organismo, nem mesmo é necessário beber muito para ocasionar no dia seguinte.

Outra questão importante e que não notamos, é a falsa sensação de que sua performance não está sendo prejudicada. É mesmo normal as pessoas que bebem muito, possuírem a certeza de que são de algum modo melhores enquanto estão bebendo.

Claro que na hora derradeira, na pratica mesmo, isso não acontece. Até porque corpo inchado é bem diferente de corpo com musculatura definida. E mesmo quem é “acostumado” a beber em grande quantidade e por isso pensa que não é afetado por alguns copos de cerveja apenas, acaba sendo prejudicado sim.

Acontece que os exercícios precisam de um ciclo evolutivo, é aí que a boa dieta entra. Imagine fazer uma dieta regrada e quando chega no final de semana, toda ela é desequilibrada pelo processo de digestão do álcool pelo organismo, ao iniciar a semana, certamente não terá o mesmo rendimento de quando terminou.

O ganho muscular realmente não é uma tarefa fácil, exige disciplina e muito treino. Como dito no início do texto, isto não se trata de um artigo contra a bebida alcoólica, mas sim um informativo.

Cada um bebe o quando quiser e como quiser, mas se você quiser ver bons resultados em seu corpo, é bom se informar bem.

A grande maioria das pessoas que reclamam por causa da falta de resultado na musculação, é formada por aqueles que não conseguiram seguir sua dieta a sério.

Claro que a evolução também depende do corpo de cada um, mas sem uma boa dieta e muito treino, os efeitos serão pífios sempre.




musculação

 

Bebidas alcoólicas  e musculação

O debate sobre o álcool e musculação é constante na sociedade brasileira. E isso não é por acaso. As bebidas alcoólicas geram inúmeros prejuízos para quem ingere, e para a sociedade ao redor. Mortes no trânsito, violência domésticas, brigas em lugares públicos e festas e, além disso tudo, os problemas de saúde.

Segundo o Ministério da Saúde, o álcool é a droga mais consumida no mundo. Entre os principais efeitos do álcool no organismo, em primeiro estágio, estão:

  • Euforia, desinibição (perda de vergonha, timidez)
  • Descontrole
  • Sono
  • Perda de coordenação motora
  • Desequilíbrio
  • Perda de memória
  • Perda de concentração
  • Aumento do ritmo cardíaco
  • relaxamento ou prazer

Entretanto, a medida em que uma maior quantidade é ingerida, os efeitos vão se agravando. Como, por exemplo, a perda de consciência e parada respiratória, levando o indivíduo à morte. O consumo constante de álcool também leva à falência diversos órgãos como o coração, fígado, estômago e, também, vasos sanguíneos. E isso provoca diversas doenças e até a morte do indivíduo. Por gerar prazer e relaxamento, o álcool também vicia, causando o alcoolismo – considerado uma doença pela OMS (Organização Mundial da Saúde).

emagrecer sem exercícios

musculação

Comentários no Facebook